Horário de funcionamento 8h às 22h. Entre os dias 11 e 22 de agosto a Biblioteca do ICHS funcionará de 8h às 19h

Solicitação on-line para alunos, professores e técnicos administrativos

Read More

Orientações sobre o uso da Biblioteca e seus serviços

Read More

[Dia Mundial do Livro]

Dia 23 de abril é comemorado o dia mundial do livro. A data foi criada durante a XXVIII Conferência Geral da UNESCO e tem como objetivo promover o prazer da leitura, a publicação de livros e a proteção dos direitos autorais.

A data foi escolhida por ser o dia em morreram Miguel de Cervantes e William Shakespeare, escritores que influenciam até hoje a literatura produzida no mundo.

[Lygia Fagundes Telles]

Nascida em São Paulo, no dia 19 de abril de 1923, Lygia Fagundes Telles é uma escritora brasileira. A autora é considerada a principal representante da literatura feita dentro do movimento pós-modernista nacional.O estilo de Lygia Fagundes Telles é caracterizado por representar o universo urbano e por explorar de forma intimista a psicologia feminina.

Seu interesse por literatura começou na adolescência e Lygia chegou a publicar seu primeiro livro aos 15 anos, com o título “Porão e Sobrado”, mas só depois de se formar em Direito e Educação Física, na Universidade de São Paulo, que a autora passou a se dedicar profissionalmente à literatura. Sua estreia oficial como escritora ocorreu em 1944, com o volume de contos “Praia Viva”.

Já com uma carreira consolidada na literatura foi eleita para a Academia Paulista de Letras, em 1982. Em 1985, tornou-se a terceira mulher eleita para a Academia Brasileira de Letras. E em 1987, foi eleita para a Academia das Ciências de Lisboa.
Entre os muitos prêmios que recebeu, destacam-se o Prêmio Jabuti da Câmara Brasileira do livro, com a obra “As Meninas”, em 1974; o Prêmio Jabuti com a obra “Invenção e Memória”, em 2001; e o Prêmio Camões recebido no dia 13 de outubro de 2005, em Porto, Portugal.
Em 2016 e aos 92 anos de idade, Lygia Fagundes Telles tornou-se a primeira mulher brasileira a ser indicada ao prêmio Nobel de Literatura.

Confira algumas obras da autora:

As Meninas

As meninas relata os conflitos no relacionamento de três jovens que têm entre si um ponto em comum, a solidão, e como pano de fundo os governos militares. Três universitárias compartilham com algumas freiras um pensionato em São Paulo. Ana Clara gosta de um traficante e vive drogada. Lia briga contra o regime, Lorena, filhinha de papai, ajuda as outras duas com dinheiro. Lia se envolve com Miguel, que é preso e trocado por um diplomata. Sem ligar para a política ou as drogas, Lorena se apaixona por um médico casado e pai de cinco filhos.

A estrutura da bolha de sabão:contos

Esta reunião de oito contos escritos por Lygia Fagundes Telles em épocas e circunstâncias diversas atesta não apenas a excelência da prosa da autora mas também a sua condição de notável “pesquisadora de almas”, conforme a definiu o crítico Nogueira Moutinho.
Os protagonistas destas histórias encontram-se, em geral, numa relação crítica com as pessoas e ambientes que os cercam — e também consigo próprios.  A vida, parece nos dizer a autora, é frágil, fugaz e misteriosa como uma bolha de sabão.
Antes do baile verde
‘Antes do Baile Verde’  é um dos livros mais marcantes da carreira de Lygia Fagundes Telles. Os contos, escritos entre 1949 e 1969, deixam claro para o leitor por que a autora é uma das mais representativas e premiadas escritoras brasileiras em atividade. Estão presentes no livro algumas histórias emblemáticas como ‘O jardim selvagem’ e ‘Meia-noite em ponto em Xangai’.
Narrativas turbulentas, de diálogos cuidadosamente esculpidos e marcadas por finais em aberto. A autora demonstra uma coragem singular para trabalhar pontos mais delicados da condição humana através de personagens cínicos, amargos e, principalmente, cruéis.